segunda-feira, 14 de julho de 2008

Fusca com motor movido a carvão.

É isso mesmo, Fusca movido a carvão. Em meio a Segunda Guerra Mundial, o petróleo era muito escasso. Com a falta de combustível, o jeito era partir para outras fontes de energia. A técnica usada era uma mistura de gases produzidos através da queima de materiais como madeira, carvao até estrume. Este processo de combustão era chamado de gasogênio, inventado pelo francês Georges Imbert na década de vinte. Atualmente existe veículos movidos a gás natural. Ja vi muitos fuscas por ai rodando a GNV. Mas experts no assunto dizem que o GNV é muito prejudicial ao motor refrigerado a ar, pois, o calor gerado na combustão é muito alto. Mas quem quiser se arriscar, boa sorte!

Modelo 1493, o carvão era depositado em um reservatorio no porta malas.





2 comentários:

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

Gasogênio chegou a ser bastante comum até em território brasileiro. Diga-se de passagem, durante a década de 70 a Lorenzetti (atualmente mais conhecida pelos chuveiros elétricos) cogitou voltar a produzir gasogênios e alguns protótipos foram feitos, mas como era um modelo mais adequado aos carros americanos enormes acabou ficando só no projeto mesmo, já que naquela época o mercado automotivo brasileiro estava mais influenciado por projetos mais à européia como Fusca, Chevette e Fiat 147.

Anônimo disse...

1493!!!!?????